Amor próprio

Olá meus amores!

Hoje venho falar-vos de um tema que pode ser bastante delicado, o amor próprio.

Há muito tempo que queria escrever sobre isto, porque muitas vezes as redes sociais e os ideais “estipulados” pela sociedade nos fazem duvidar das nossas capacidades. Fazem-nos muitas vezes não gostar da imagem que vemos no espelho e querer ser igual aos demais.

Vamos estabelecer o seguinte, ninguém é perfeito. Ninguém!

Aquela menina que vocês veem sempre a sorrir, a fazer mil e uma actividades diárias, aquela menina que vocês julgam ter o corpo perfeito, a vida perfeita… bem, vocês acham que os dias dela são sempre magníficos?

Que ela está sempre a sorrir e satisfeita com a própria vida, ou até mesmo satisfeita com a imagem que vê no espelho? Posso garantir-vos que não.

Primeiro porque nas redes sociais as pessoas passam apenas e somente aquilo que desejam (que é um direito seu, sem duvida) e eu acho, a meu ver, que se filtre a informação que é passada nas redes sociais, porque nós nunca sabemos quem está do lado de lá.

Nós nunca sabemos o impacto que as nossas palavras vão ter na vida de outras pessoas, porque acreditem, nem todas as pessoas vão receber o que dizemos, de forma positiva.

Hoje eu vou falar-vos um pouco sobre mim, sobre a forma como lido com as inseguranças e as transformo em amor próprio.

Em relação às redes sociais, eu decido aquilo que quero e não quero absorver… Adoro seguir pessoas que me mostram como são, que me incentivam a ser melhor. Honestamente não gosto de seguir pessoas que estão sempre a queixar-se de tudo. Não gosto. Problemas e dificuldades nas nossas batalhas diárias, todos temos, sempre iremos ter.

Mas as redes sociais servem sobretudo para partilhar o bem, para criar uma onda de boa vibe e apoio mútuo, não uma plataforma de julgamento em que atacamos tudo aquilo que vai contra o que defendemos. Há espaço para todos e ninguém deve querer “crescer” ás custas de criticar os outros.

Claro que há alturas que eu vejo coisas com as quais não me identifico, mas isso não me dá o direito de atacar ninguém.

Eu sou muito defensora do “não faças aos outros aquilo que não gostas que te façam a ti”, para mim é uma optima política e regra que levo para a vida.

É importante aceitar as perspetivas e ideias dos outros, mesmo que contrárias às nossas e se formos a ver, o que realmente importa é a forma como regemos a nossa vida e se isso nos faz feliz.

Amor próprio também significa aceitar os outros, aceitar as suas opiniões, os seus estilos de vida sem deixar que isso nos afecte.

Será que eu devo deixar-me afectar por aquela musa inspiradora que aparece todos os dias sem defeitos?

Será que me devo sentir mal por não ter o seu corpo?

Nunca. Eu devo usar isso como um incentivo, “se ela consegue, porque não hei-de conseguir?”.

Eu consigo, eu sei. Ao meu ritmo. Porque ninguém tem a mesma fisiologia, o mesmo metabolismo, a mesma idade ou até o meu ideal de vida saudável.

O que importa é eu fazer o meu melhor todos os dias, fazer porque gosto e não porque é uma obrigação, ou porque tenho de ser melhor que X ou Y.

Eu apenas tenho e quero ser a minha melhor versão de dia para dia. Sem comparações.

Devo dizer que aprendi a gostar do meu corpo todos os dias, mas isso não faz com que eu às vezes não sinta inseguranças.

Também tenho dias em que me olho ao espelho e penso “que barriga é esta? Estagnei? Parece que estou igual. Porque demora tanto? Sinto-me inchada. Sinto-me cansada, triste, sem força de vontade.”.

Todos temos estes dias e muitas mais duvidas a pairar a nossa cabeça, mas estes dias fazem parte. Fazem parte da nossa evolução e crescimento pessoal, interior e exterior.

Saber lidar com as nossas duvidas, com as nossas questões interiores, faz com que nos saibamos aceitar melhor, faz com que gostemos mais de nós.

Vai daí que eu hoje acordei mais inchada, paciência, amanha ou depois passa.

Hoje acordei com aquela borbulha péssima na testa, bem, nada a fazer, ela acaba por desaparecer, posso disfarçar com base.

Hoje estou não me apetece treinar, mas não me sinto cansada. Tenho duas escolhas, ou vou e sei que me vou sentir bem por ter ido, ou não vou e vou sentir-me bem na mesma porque amanhã é outro dia e hoje prefiro descansar.

Hoje apetece-me um gelado, uma pizza ou um hambúrguer, vou comer, sem culpas, depois retomo a minha rotina.

Amor próprio é a base para a felicidade. Porque quando nos sentimos bem connosco próprios, nada nem ninguém no mundo nos pode abalar.

Por isso, AMA-TE!

Anúncios

Como tudo começou! [mudei a minha vida]

Muitas vezes perguntam-me como isto tudo começou, quando foi o dia em que decidi mudar a minha vida, os meus hábitos, como o fiz, quanto tempo, quanto peso… Muita coisa! E hoje venho aqui contar-vos o meu percurso!

Bem posso dizer que tudo começou há cerca de 5 anos, na altura eu pesava 67kg, tinha uma vida bastante sedentária, não praticava qualquer tipo de desporto e digamos, a minha alimentação era péssima, hambúrgueres e pizzas quase dia sim dia sim, muita batata frita, gelados, doces, sem qualquer tipo de equilíbrio, apenas comer porque sabe bem, até rebentar e sem pensar no resto.

Um dia, por impulso de um colega de trabalho, comecei a frequentar o ginásio no meu local de trabalho, era algo muito básico e eu apenas fazia cardio, passadeira, bicicleta ou elíptica…

Aliado a isso fui alterando os meus hábitos aos poucos, sem radicalidades, fui trocando os fritos por grelhados e cozidos, comecei a comer mais legumes, passei a optar por farinhas integrais, aveia… Comecei a reduzir nos bolinhos, pizzas, hambúrgueres… E quando dei por mim, 10kg foram à vida em 5 meses, sem sacrifício… Sim ia ao ginásio 5 dias por semana, de segunda a sexta.

Bem, o cardio ajudou-me a perder peso, sem dúvida, e para quem não fazia absolutamente nada, é claro que impulsionou a minha perda de peso.

Mas vai daí que me olho ao espelho e toda eu estava sem forma, sim estava magra, mas massa muscular? Curvas? ZERO!

Rapidamente percebi que precisava mudar a minha estratégia e a essa altura eu já estava viciada no desporto, em treinar diariamente e foi aí que passei a praticar musculação. Coisa que já não largo e que se soubesse tinha feito logo desde inicio, pois à medida que perdia gordura, podia estar a dar forma ao meu corpo…

Nos dias de hoje e aliás, nos últimos 3-4  anos, a minha prioridade passou a ser a musculação. A minha actividade favorita, onde consigo moldar o meu corpo e sentir-me cada vez mais forte.

É claro que o processo de ganho de massa muscular leva o seu tempo, é necessário um treino bem estruturado e uma alimentação adequada ao objetivo.

Tive sorte dos sítios por onde passei, onde as pessoas sempre me ajudaram quando eu tinha duvidas em como treinar ou o que comer. Quer fosse em fases de perda de gordura como ganho de massa muscular!

NUNCA TIVE UM PT OU NUTRICIONISTA.

Ao meu tempo e ao meu ritmo fui percebendo o que era importante para mim e é aí que entra o equilíbrio, bem estar e amor próprio.

Mais recentemente comecei a trabalhar com o Nuno Martins, o meu coach, o meu orientador de treino e alimentação. Estamos nesta jornada há cerca de 7-8 meses e eu posso dizer com todas as letras que nunca me senti tão bem no meu corpo.

Hoje em dia eu não me privo como antes fazia, hoje em alimento-me de forma equilibrada, dou prioridade a alimentos ricos nutricionalmente, mas quando entendo e quero, não tenho qualquer problema em comer o que seja! E mais, não me sinto culpada por isso.

Desde que comecei a tirar de cima de mim a pressão do corpo perfeito, o medo de engordar ou acordar inchada ou o que fosse, os meus resultados começaram a ser cada vez mais positivos.

Sim eu treino 5-6 vezes por semana, porque quero, gosto e me sinto bem, foi um bom vício que adquiri e que já não sei viver sem.

Não tenho mais um dia estipulado para sair da dita rotina alimentar, porque a minha rotina alimentar é eu comer o que o meu corpo precisa, mas também o que me faz sentir bem.

Não existe a pressão do dia X para comer pizza, gelado, hamburger, batata frita, ou o que seja… Eu não preciso de esperar por um dia para me sentir bem!

Imaginemos que na terça-feira eu tenho um aniversário e bem, posso chegar ao restaurante e apetecer-me uma grande lasanha ou apenas um peixe grelhado. Eu vou por aquilo que me apetece, mas claro, de forma equilibrada, que era o que eu antes não fazia.

Não faz mais sentido apetecer-me um gelado numa quarta-feira e eu ter de esperar pelo sábado ou domingo para o comer!

Isso só cria mais stress sob nós próprios, até lá vai apetecer-nos comer este mundo e o outro só porque não comemos no dia em que nos apetecia… Pior, quando chegar o dia de comer e deitarmos abaixo mais gelado do que aquele que nos apetecia na quarta-feira… E quem fala de gelado fala de outra coisa qualquer!

Hoje, eu já não como até rebentar! Nem em buffets, hoje eu vou, como até me sentir satisfeita e não maldisposta, como se o mundo fosse acabar por eu não encher o bandulho até rebentar!

É importante procurarmos o nosso equilíbrio, cada um o seu… Nós não somos todos iguais, mas para mim, esta é a melhor abordagem que podemos ter com a alimentação. Esta para mim é a melhor estratégia!

Claro que aliada a um estilo de vida mais activo… Voces também não precisam treinar 7 dias por semana, ou 6 ou 5… 4 vezes já é optimo, 3 vezes também e é sempre melhor do que sermos sedentários.

Manter o corpo activo é bom para o físico e psicológico, até porque o treino faz com que seja produzida a hormona do “bem-estar”, por isso que nunca vimos alguém terminar o treino e sentir-se arrependido disso, já pensaram?

Não precisamos perder 2h no ginásio para ter resultados, isto se a desculpa for a falta de tempo… Eu nunca treino mais de 1h e estou aqui, continuo a ter resultados, a perder gordura ou ganhar massa muscular de acordo com o meu objetivo na altura.

Mas sabem que mais, o mais importante é que o meu objetivo não atrapalha a minha vida, eu continuo a viver e a sentir-me feliz, porque o corpo perfeito não existe, mas existe sim, eu sentir-me bem comigo.

Tenho noção de que alonguei, que posso até ter saído um pouco do tema principal, mas esta é a minha visão, a visão que queria partilhar convosco, porque o que eu atingi está ao alcance de todos!

Um pouco comprido mas é o que tenho para partilhar convosco!

Podem encontrar o Nuno, o melhor coach, no Facebook ou Instagram!

Inspirações que mudam uma vida – Vanessa Alfaro

Meus queridos!!!

É com muito gosto que vos trago uma nova rubrica no blog: Inspirações que mudam uma vida!

E para começar trago-vos a grande Vanessa Alfaro!

Uma menina que sigo já há uns anos, desde que me lembro de ter iniciado o meu roteiro Fit! A sua força de vontade e boa disposição são sem duvida contagiantes, é daquelas pessoas que dá gosto ver logo pela manhã em pleno Snapchat com uma enorme boa disposição e vontade de viver a vida!

A história dela e a sua mudança são absolutamente incríveis e inspiradoras, daí querer partilhar convosco algumas curiosidades sobre esta guerreira e agradadecer pela inspiração diária!

 

Quem é a Vanessa?

Tenho 26 anos e nasci no norte da Alemanha, vivo na Veneza portuguesa, Aveiro, há 13 anos e considero-me mais portuguesa do que alemã. 

img_7148Estudei línguas e relações empresárias na universidade de Aveiro. Trabalho na área de forma esporádica, fazendo traduções de alemão/inglês, e traduzindo julgamentos no tribunal de Aveiro. Sou também agenciada por uma agência de modelos para a qual realizo trabalhos publicitários e de eventos, mas neste momento estou me a dedicar a 100% ao meu estilo de vida, ao meu trabalho como blogger. 

Sou uma pessoa extrovertida, exigente comigo mesma, mas isso nem sempre foi assim. 

 

Diz-nos, como consegues manter sempre essa boa disposição e boa energia que passas pelas redes sociais?

Tudo o que tento demonstrar nas redes sociais sou eu própria, sem máscaras, sem farsas! Tanta boa disposição porque? Porque sou da opinião que a vida deve ser vivida ao máximo e devemos de tirar o máximo de proveito dela. Nunca nos podemos esquecer que vida só há uma. 

e0d3f4c7-1ecd-4bae-a771-3094120080dc

 

Agora o que todos querem saber, como começaste a tua jornada pelo mundo fit?

Eu era uma pessoa sem qualquer tipo de complexos/vergonha com o meu corpo. Eu não estava nem aí para o que as pessoas poderiam achar de mim.

Após entrar na faculdade o peso começou aumentar drasticamente, cheguei a engordar 10kg num ano, e foi aí que tomei está tão importante decisão. 

Uma amiga de curso ia começar a ser seguida por profissionais, e eu por pura brincadeira decidi acompanha-la e iniciar um plano alimentar adaptado às minhas necessidades e objetivos. 

Com mais 20kg em cima decidi por livre e espontânea vontade mudar o meu estilo de vida. Acreditei sempre, fui forte e os resultados motivaram-me muito, foram eles que me ajudaram imenso a continuar. 

 

Quais são as maiores diferenças na tua vida desde que melhoraste os teus hábitos?  img_0279

Tudo na minha vida mudou, primeiro porque era uma pessoa sem qualquer tipo de interesse por alimentação, bem estar e saúde, e segundo eu era uma pessoa sem hábitos, sem objetivos e sem rotinas. 

Eu não frequentava um ginásio, não fazia 6-7 refeições, não me hidratava, nao sabia cozinhar e odiava legumes e peixes. 

Hoje em dia tudo o que acabei de referir faz parte da minha rotina e do meu bem estar porque tudo se tornou um hábito na minha vida. Cresci imenso com esta mudança o que me levou a ver a vida com outros olhos.

 

Curiosidade: Qual o teu prato favorito fit e não fit?

Bem, que pergunta difícil no que diz respeito ao prato favorito fit, porque adoro tudo o que faz parte de uma alimentação saudável. Mas pensando bem, há um delicioso Brownie de chocolate fit que eu amo. Costumo cozinhar imensas vezes e é muito saboroso. 

O prato favorito não fit, é PIZZA, é uma loucura, das melhores coisinhas. 

 

Qual o teu treino favorito e o que menos gostas?  

O treino que mais gosto é o treino de perna e glúteos, da me imenso gozo treinar perna. O que menos gosto de treinar é o treino de superiores, não tenho qualquer tipo de força de braços. 

img_0459

Quando tens aqueles dias em que apetece comer este mundo e o outro, o que fazes? Quais são as tuas dicas? Tens algum alimento que te “salve”?

Não há nenhum alimento específico que possa salvar essa tentação, porque a cabeça comanda tudo. 

A partir do momento que alterei o meu estilo de vida, comecei a ganhar gosto por tudo o que diz respeito a ela, tudo se tornou mais fácil. 

Mesmo assim se tiver prestes a cair em tentação, que por acaso é raríssimo acontecer, opto por preparar um doce fit, ou mesmo um salgado fit, como uma mousse de chocolate, um hambúrguer saudável ou chips de batata doce feitas no forno. 

 

Já alcançaste e continuas a alcançar uma enorme quantidade de seguidores, o que queres dizer a quem inspiras diariamente?

Antes de mais quero agradecer imenso a todas as pessoas que se encontram do outro lado do ecrã, diariamente apoiarem-me, é incrível o impacto que tenho na vida de outras pessoas, o que me deixa extremamente feliz! 

Sou uma sortuda por ter tantas pessoas maravilhosas desse lado. 

Sei também que existem imensos seguidores que não acreditam que é possível alterarem o seu estilo de vida, a essas pessoas peço para não desistirem e lutarem por aquilo que realmente querem, porque os resultados não caiem do céu, temos de ser nós a dar o primeiro passo é lutar pelo nosso bem estar. 

 

Somos nós que escolhemos quem queremos ser! 

img_2266

Onde podem encontrar a Vanessa: no Facebook, Instagram e Snapchat: vanessalealfaro.